Trampo

Guia de sobrevivência para o inverno

1

Trabalhar (mais ou menos) ao ar livre no meio do inverno não é muito agradável… cada ano que passa o frio me afeta mais, especialmente nas mãos e pés.

O melhor jeito de se proteger do frio é se vestir com várias camadas finas de roupas, ao invés de só um agasalhão pesado. As camadas finas isolam e permitem mobilidade, e tem a vantagem de poderem ser removidas se a temperatura aumentar, ou você se aquecer por causa de atividade física.

Aqui está como eu normalmente me visto para um dia de trabalho… tem nomes em inglês porque não sei como se chamam em português, só fui conhecer os termos aqui.

Pés e pernas:

Uso botas prá inverno, com isolamento térmico e composite toes, meias, e um base layer térmico. Com a calça jeans em cima, dá prá aguentar legal. Dentro das botas (e das luvas) uso toe warmers, já falo deles.

Mãos:

Dois pares de luvas: liner gloves primeiro e as luvas grossas por cima.

Corpo e cabeça:

Camadas e camadas de roupa. Hoje eu estava usando uma camiseta por baixo de tudo, um base layer de gola alta, uma camiseta comprida, uma camisa de flanela e uma jaqueta.

Prá cabeça, é um gorro mesmo. Às vezes também uso uma máscara de esqui, quando tenho que ficar indo no pasto buscar cavalos e está ventando. Mas normalmente no inverno eu deixo a barba crescer, já ajuda bastante.

A Salvação da Lavoura:

Mesmo com tudo isso, quando está muito frio meus dedos das mãos e dos pés doem muito, o que me salva mesmo são esses toe warmers, uns sachês que reagem com o ar quando você tira do pacote e geram calor. Eles colam na meia prá não ficar mexendo dentro do sapato, e deixam tudo bem quentinho. Duram umas 6 horas, mas no inverno eu não costumo trabalhar mais do que isso, já é sofrimento suficiente :-)

Também uso eles dentro das luvas, existem uns para as mãos mas são maiores, eu usava antes mas desde o ano passado comecei a colar os mesmos que uso para os pés dentro da luva, é mais conveniente.

E é isto. Nada muito interessante, mas estava pensando nisso hoje e achei que de repente era legal postar aqui.

Aldrava pintada e envernizada.

Knock, knock!

2

Uma cliente minha perguntou se eu sabia fazer esses serviços de ferreiro, porque ela queria uma aldrava* feita de ferraduras. Eu, como sou metido, disse “claro que sei”, né? :-)

Ela queria uma coisa simples, tinha até me mostrado uma foto. Eu não gostei muito do esquema da aldrava da foto, então resolvi fazer uma diferente. O resultado está abaixo (clique nas fotos para ampliar).

* se você não sabia o que era uma “aldrava”, não está sozinho. Tive que procurar para descobrir como isso se chamava me português. :-)

Bem ferrado

7

Ontem eu ferrei um cavalo novo, que eu não tinha ferrado antes. Ele já estava com o ferrageamento atrasado, mas mesmo assim acho que ele não estava sendo ferrado do jeito certo — i.e. o meu jeito 😛

Resolvi tirar fotos das patas de trás (já tinha ferrado as patas da frente quando decidi), porque elas estavam em estado de calamidade. Fiquei bem satisfeito com o meu serviço, então estou colocando aqui para vocês verem. Clique nelas para ampliar.

Coloquei umas linhas guias neste par de fotos para vocês poderem apreciar melhor. As fotos estão exatamente na mesma escala e na mesma posição, assim dá para comparar o antes e o depois.

Vistal de baixo

O segundo par de fotos não saiu exatamente no mesmo ângulo, então não adicionei nada, mas dá para ver a diferença, inclusive no ângulo da quartela (a parte da perna acima do casco, antes da articulação) em relação ao chão.

Vista lateral

Malabarismo com abóboras

2

Pete, meu amigo ferrador, fazendo malabarismo com abóboras num estábulo onde estávamos hoje.

Tirinha sobre ferrador

0

Tá certo, não é engraçada, mas quantas tiras sobre ferrador você vê por aí?

Roubada do blog do Laerte.

cicada

A fábula da Formiga e a Cigarra

4

Dia de trabalho com meus amigos ferradores… enquanto a Formiga trabalha, a Cigarra fica só tocando sua violinha. :-)

xray

Visão de raio-X

1

Fotinhos de raio-x tiradas que o veterinário tirou de um cavalo ontem. O bicho está com vários problemas. Eu coloquei as legendas para mostrar onde estão os problemas, assim vocês não precisam ficar adivinhando. 😛

Vista elevada frontal

Vista lateral

De volta do treinamento intensivo

6

Passei 3 dias inteiros (sexta, sábado e domingo) em Philadelphia, num curso estilo “bootcamp” sobre programação de iPhone. Tô cansadão.

A última vez que fiz curso nesse esquema (ou de programação, para falar a verdade) foi uns 8 anos atrás. E faz quase uns 7 anos que não mexia com C/C++. Mas me dei bem no curso, estava sempre à frente do resto do povo durante os exercícios, a maioria deles era meio devagar.

Os aplicativos para  iPhone usam uma linguagem que é um C/C++ todo remendado que a Apple inventou, não curti não… é uma mistureba do caramba. Mas não tem outro jeito de programar, então vai esse mesmo.

Agora é ver se vou usar, tem uns serviços para iPhone que estão aí meio que no horizonte. Vamos ver se rolam. Enquanto isso, preciso arrumar algum projeto para desenvolver para firmar o conhecimento adquirido durante este final de semana.

Desgrampeado

5

Voltei do médico agora há pouco, fui remover os grampos da minha barriga.

Foi tudo bem, eles não usaram um daqueles removedores de grampo de escritório, como eu temia, mas sim um alicatinho especial que dobra os grampos para cima e os abre. :-)

A única coisa que não está legal é que me falaram que eu tenho que evitar levantar pesos de mais de 12kg por SEIS semanas depois da cirurgia. No hospital tinham me falado que em duas semanas eu poderia voltar ao trabalho. Eu disse à enfermeira que infelizmente seria impossível esperar todo aquele tempo, pois tenho que trabalhar, então ela disse para eu tentar fazer “o melhor possível”.

Como meu pai sempre diz, se não tem remédio, remediado está. Tenho até o final da semana que vem para me recuperar e daí tenho que voltar ao trabalho, ou possivelmente começar a perder meus clientes. Vida de trabalhador autônomo tem dessas.

Minha vida é (quase) só trabalho

4

Tenho estado super-ocupado nestas últimas semanas, sem tempo para muita coisa, inclusive para pensar em postar no blog.

Entre ferrar cavalos durante o dia, projetos de websites à noite e ajudar na formação de uma cooperativa local para compra de comida (mais detalhes sobre isto em breve), meu tempo livre desapareceu. Só sobrou tempo para ir ao encontro de jogos de tabuleiro no sábado e tocar um pouco de música ontem.

Hoje fiquei em casa o dia todo, trabalhando num projeto que tem que ser entregue na quarta-feira. A Switch está aqui, me “ajudando” à moda dos gatos.

Conseguem ler a lista dos arquivos que tenho que alterar? Eu também não, com a gata sentada em cima...

Conseguem ler a lista dos arquivos que tenho que alterar? Eu também não, com a gatinha sentada em cima da folha...

Go to Top