Desperdício

| | Comments (3)

Aqui nos EUA eles tem o costume de colocar abóboras na frente de casa, nos jardins, varandas junto à caixa de correio, etc, como decoração para o outono. Tipo assim:

http://diario.liquidoxide.com/archives/images/2944/pumpkins-thumb.jpg http://diario.liquidoxide.com/archives/images/2944/pumpkin-snow-thumb.jpg

Até aí tudo bem, fica bonitinho, é pitoresco, etc. Só que... aparentemente, a maior parte (me falaram que é bem mais de 90%) da produção de abóboras nos EUA para nas varandas das pessoas, onde apodrecem e são jogadas fora. A quantidade de comida desperdiçada dessa maneira é simplesmente absurda.

Nesta época do ano (setembro e outubro), se você dirigir aqui pelas redondezas, vê montes de campos lotados de abóboras. Pensar que tudo aquilo está destinado a estragar na frente das casas dá revolta, quando tem tanta fome e necessidade por todo lugar. Mas aparentemente ninguém liga, ou faz a conexão entre abóboras e comida.

Acho que estou ficando mesmo velho e ranzinza, mas esse tipo de coisa realmente me irrita.

Categories

3 Comments

Maria said:

Querido, você não está velho nem ranzinza. Vocë simplesmente tem uma consciência. :)

Adorei seu último comentário lá no blog. Boa viagem e que o reencontro com seu pai não seja assim tão dolorido.

Be said:

Eu tento aproveitar o máximo da abóbora... há vários modos de se utilizar as sementes, etc. ;) Mas você está certo... este povo que deixa estragar é flórida...

Liesl, no trampo said:

Concordo com a Be. A gente fez decoracao com aboboras, mas o desenho vc faz na casca. O resto da pra usar pra fazer receitas e ate "roast" as sementes, vira um snack legal. Mas o que tem de abobora podre na minha vizinhanca, afe...

About this Entry

This page contains a single entry by published on October 31, 2007 8:07 PM.

30 Days Of Night (o filme) was the previous entry in this blog.

Viagem para o Brasil is the next entry in this blog.

Find recent content on the main index or look in the archives to find all content.

Powered by Movable Type 4.1