Fazendo Arte

Potes, vasos e afins

Aproveitando que estou em casa hoje de manhã (para supervisionar o pessoal que está arrumando a calçada), me lembrei de tirar fotos das peças prontas que eu trouxe para cá.

Tirei também algumas fotos da textura dos potes, que fica bastante interessante.

Quem não tem cão, caça com gato

…e quem não pode trazer os papagaios para o serviço, se vira como dá. Nem que seja com bonequinhos de papel. :-)

Se algum de vocês quiser montar um amiguinho também, pegue o arquivo aqui (em formato pdf).

Mais cerâmica

Ontem, como de costume, fomos para o estúdio trabalhar nos nossos projetos das aulas de cerâmica.

Eu estava precisando de uma tijela um pouco maior do que a que eu tenho aqui no serviço para tomar sopa, então aproveitei para fazer uma para mim.

A Lydia trabalhou na chávena em formato de caju que ela está fazendo. O cajuzinho menor é uma das xícaras.

Levei umas peças minhas que já estão prontas para casa, depois eu tiro fotos.

Mais arte

Ontem eu tirei umas fotos de umas peças que a Lydia fez para experimentar com técnicas diferentes de “glazing“.

Laboratório de cerâmica

Ontem de manhã nós fomos à universidade para trabalhar um pouco nos nossos projetos. Eu fiz mais duas peças na roda de oleiro enquanto a Lydia trabalhava num projeto grande dela (depois quando ficar pronto eu coloco umas fotos aqui).

A Lydia tirou uma foto minha enquanto eu estava cortando o fundo de um vasinho que fiz. Para tirar a peça da roda, você passa um arame pelo fundo dela, para desgrudar da mesa.

Na saída eu tirei umas fotos do prédio onde fica o estúdio. Na verdade o estúdio fica no porão, à direita das fotos.

Estou preso!

Socorro! Eles não me deixam sair daqui enquanto não resolver este problema no qual estou trabalhando, dizem que precisa ser resolvido hoje sem falta…

Minha aula de cerâmica está começando… tipo agora.

Alguém me resgate!

Mais tarde…

Acabei chegando na aula com 1 hora e 15 minutos de atraso. Ainda bem que são 4 horas de aula, então deu para aproveitar o tempo.

Consegui ainda fazer 4 potes na roda de oleiro… uh-uh! :-)

Desses 4, o mais legal, um pratão com borda, caiu da minha mão dentro da bacia da roda de oleiro quando eu estava tirando ele… foi-se.

Roda, roda, roda e avisa…

Sábado eu usei pela primeira vez a roda de oleiro, aquela mesinha giratória onde se faz cerâmica.

Bom, “usar” é força de expressão. Eu tentei… ô coisinha difícil. 😉

Como era previsto, não consegui fazer nada. Era só começar a subir as paredes do pote que tudo saia de centro e eu acabava com metade do finado pote na mão, metade ainda grudado à roda.

Mas tudo bem. Para primeira vez, até que eu estava conseguindo centralizar a argila até que direitinho, o problema mesmo está sendo aprender a subir os lados do cilindro, que é a forma básica para a construção de qualquer coisa na roda de oleiro.

Aproveitei para tirar umas fotos de algumas das minhas peças que já passaram pela queima inicial, chamada “bisque” ou “biscoito” em português. Agora falta fazer o “glazing” nelas. Clique nas fotinhos abaixo.

Ah! Achei este site aqui que tem uma introdução à cerâmica bem legal, em português, para o caso de alguém se interessar.

Mais cerâmica

Terça-feira é noite de workshop de cerâmica. O estúdio fica aberto para os alunos trabalharem nos projetos deles.

Aproveitei que não tinha professor para me dar bronca e tirei mais umas fotos. Clique nelas para aumentar.

Alguns dos fornos (kilns). O maior é à gas, os menores em formato de barril são elétricos.

Dois trabalhos meus esperando a hora de ir para a primeira fornada… lembram da chávena que eu mostrei num post anterior? A segunda foto é uma bandeja, mas está de cabeça para baixo.

Isto aqui é o projeto em que eu estava trabalhando hoje à noite… mas ainda não está terminado.

Com a mão na massa

Ontem à noite eu e a Lydia fomos até o BCCC para usar o estúdio de cerâmica. Eles deixam os alunos irem lá quando não tem aula para que eles possam trabalhar nos projetos pendentes (normalmente os projetos inacabados ficam armazenados lá no estúdio mesmo).

Clique nas fotinhos para ampliar.

A Lydia praticou o “throwing” dela (“throw” é fazer peças nessa mesinha giratória).

Eu fiz um projeto usando um “slab” (uma placa) de argila. Ainda não está terminado.

Mas o que matou mesmo foi esta estátua de cachorro que a outra mulher tinha em cima da mesa… perfeita! 😉

Cansaço e resumão

Estou num prego danado, correndo para caramba no serviço… nem estou conseguindo postar ou passear pelos blogs do pessoal direito.

Com o começo do curso de cerâmica, os atrasos do meu serviço e a adoção dos papagaios, nosso ritmo diário foi jogado de pernas para o ar até a gente encontrar o nosso ritmo certo novamente.

Voltei agorinha da aula de cerâmica, está bem interessante. Por enquanto não tenho nada para mostrar, as peças que já fiz estão secando para serem “bisqued”, que é a primeira fornada. Depois disso elas podem ser pintadas e voltam para o forno. Mas isso ainda vai demorar um pouquinho.

A Switch hoje voltou para o veterinário pois estava com um inchaço na barriga dela e com uma flatulência extraordinária. O veterinário a examinou e disse que não é nada, só um acumulo de liquido (o inchaço) e uma reação aos remédios (os puns).

A Lydia levou os papagaios para o veterinário para um check-up, está tudo bem com eles. Depois, já em casa, ela nocauteou o Domingo com uma cenoura super-temperada que deu para ele experimentar. O bichinho deu uma lambida na cenoura e caiu do poleiro. Sério!

Depois disso, a Malibu vinha correndo arrancar do bico dele e jogar no chão da gaiola tudo que a Lydia dava. Acho que ela queria proteger o coitado. 😛

Go to Top