Comida

Controle de peso

E eu resolvi perder um tiquinho de peso, só para ver se perco umas poucas gordurinhas aqui e ali, basicamente na cintura.

No meu caso perder peso é fácil, por causa da minha profissão… perdi mais ou menos 13kg quando comecei a ferrar cavalos e tenho mantido esse peso. Então comecei a usar uma ferramenta online para controlar a quantidade de calorias e o exercício que faço, para ter uma idéia de quanto eu estou comendo.

Estou usando há 3 dias e basicamente descobri que se eu não comer tranqueiras entre as refeições, perco por volta de 0,5kg por semana. Se for contar o exercício (que não faço organizadamente, mas coisas como tocar bateria ou trabalhar na horta contam), aí até as tranqueiras posso comer. Tenho consumido menos calorias do que o meu limite estabelece, com certa facilidade. :-)

É um saco ficar contando calorias de tudo o que você come, porque tem que ficar medindo quantidades e montando listas de ingredientes de coisas que você cozinha, mas a Lydia faz isso já faz uns meses e já tem prática, nem precisa mais medir as quantidades, usa o olhômetro. Daí fica mais fácil. Ela já perdeu uns 5kg desde que começou.

Sei lá se é besteira fazer isso… mas se a tendência de consumir menos calorias do que o limite continuar só cortando os snacks, acho que vou parar de controlar formalmente.

Mudança de estação

Chegou a primavera. Talvez. A Margarida já apareceu faz umas 2 ou 3 semanas para anunciar a mudança de estação, mas por enquanto ainda está bem frio, estes dias tem feito por volta de 5 graus Celsius (uns dias um pouco menos, uns dias um pouco mais).

Mas a Lydia já se preparou para a primavera comprando uma churrasqueira nova, para fazer as coisas que vê nos podcasts de culinária. Aqui em casa quem pilota a churrasqueira é ela.

Aliás, eu nunca comentei sobre esses podcasts… a Lydia coloca o laptop na frente da máquina de exercício elíptica, em cima da árvore dos gatos, e assiste vídeos de cozinha vegetariana que baixa usando o iTunes, enquanto se exercita. :-)

Fazendo tofu

Apesar do risco, a gente tem feito nosso próprio tofu desde que a Lydia comprou a tal máquina.

Nós tiramos umas fotos do processo para vocês verem, mas elas não ficaram muito boas. Só que como tirar fotos enquanto se cozinha é um saco, vou usá-las assim mesmo. Desculpem aí. :-)

Pelo que dizem, fazer tofu é complicado se você não tem a máquina de fazer leite de soja. Com ela, é mais ou menos facinho, o que demora mais é deixar os grãos de soja de molho. Depois disso, são uns 15-20 minutos para fazer o leite e mais uma meia hora para fazer o tofu. Na verdade a gente está fazendo 2 “remessas” de leite, então demora uma meia hora a mais. Ah, eu não acho que dá para fazer tofu usando leite de soja comprado, por causa das outras coisas que eles colocam no leite comercializado (conservantes, estabilizantes, açucar, corantes, etc).

O tofu feito em casa fica uma delícia, muito, mas muito melhor que qualquer um comprado em lojas. A textura não é gelatinosa (fica tipo um queijo fresco bem leve) e ele tem um gosto suave, dá até para comer sem adicionar nada. Dá para ser usado em montes de receitas, tanto de doces quanto de salgados.

Os grãos de soja são super-baratos, então em longo prazo provavelmente compensa mais fazer tofu do que comprar, mesmo adicionando-se o custo da máquina.

Aqui está o guia passo-a-passo… cliquem nas fotos para ampliar.

Tofu caseiro

A Lydia fez tofu ontem usando leite de soja feito por aquela máquina que ela comprou.

Ela errou um pouquinho no procedimento, então teve que adicionar nigari (o coagulante) a mais, o que fez o tofu ficar um tiquinho amargo (muito mínimo). Mesmo assim, ficou muuuuito melhor do que qualquer tofu comprado em loja.

Na proxima vez eu tiro fotos do procedimento todo para mostrar.

Update: não sei porque este post ficou com os comentários bloqueados, mas já arrumei.

Máquina de fazer gays

A Lydia comprou isto aqui no eBay ontem. É uma máquina de fazer leite de soja, arroz, amêndoa, etc. Ela quer fazer tofu para a gente e também leite de amêndoa, que ela toma ao invés do leite bovino.

O problema é que acabamos de descobrir que soja faz você virar gay!

Faz sentido, pois todo mundo sabe que a Ásia oriental está completamente tomada por gays e não se acha um macho sequer por lá. É tudo frozô! Não é de admirar, pela quantidade de soja que eles consomem. É por isso que a população por lá está declinando desde muitos séculos atrás, nenhum dos homens quer transar com as mulheres e produzir descendentes.

À propósito, esse site é o mesmo da campanha para rezar pelo fracasso do Obama. São os nossos velhos amigos crentes, bastiões da pureza, dos bons costumes e do rigor científico. Sem eles o mundo realmente cairia numa Idade das Trevas.

Surpresa culinária

Passamos hoje num micro-restaurantinho Queniano não muito longe daqui para jantar (o restaurante é minúsculo, mas tem website). Fica dentro de um “farmer’s market” onde a gente vai para comprar temperos. Eles são relativamente novos lá e nós sabíamos que eles tinham várias opções vegetarianas, mas não tínhamos comido lá ainda.

E qual não foi a minha surpresa quando perguntei o que era um dos itens no cardápio e o tiozinho respondeu, “mandioca frita”. No Quênia eles comem mandioca frita! Igual no Brasil!

Pedi uma porção, claro. Adoro mandioca frita. :-)

Não só de sopa vive o homem…

Com macarraozinho fica da hora

Com macarraozinho fica da hora

…portanto este vai ser o último dos posts sobre sopa por enquanto… :-)

Hoje foi sopa de feijão, com salsão, cenoura e macarraozinho de sopa. O pão é o mesmo de ontem.

Essa sopa também ficou muito boa, mas não seguimos a receita direitinho, demos uma inventada. Aliás, demos umas inventadas nas outras também, para falar a verdade. Não seguimos as receitas à risca.

A gente teria aprendido a fazer molhos esta semana, não fossem os cancelamentos. Agora não sei quando é que ele vai dar essas aulas que faltaram, mas a próxima aula (sobre cozinha vegetariana) está marcada para dia 16.

A sopa mais gostosa do mundo

A sopa mais gostosa do mundo

A sopa mais gostosa do mundo

Não sei se é, mas chega perto. :-)

Continuando a sessão “tô com inveja da Marcinha“, fizemos uma sopa de cogumelos ontem à noite, usando mais do vegetable stock que fizemos no domingo, cogumelos champignon frescos (button mushrooms), vinho branco, e umas cenouras e uns pedacinhos de carne vegetariana para dar enchimento. Comemos com pão integral de queijo cheddar e sementes de alcaravia, que a Lydia fez.

A sopa ficou absurdamente gostosa, provavelmente a melhor sopa que nós já fizemos. Essas aulas de culinária realmente valeram à pena, e olhe que só fizemos duas até agora (as desta semana foram canceladas).

Depois coloco as receitas aqui, tem que dar um desconto para a preguiça né? :-)

Usando os conhecimentos culinários

O resultado final

O resultado final

Como tenho inveja das comidas que a Marcinha faz 😛 resolvi fazer uma sopa usando as coisas que aprendemos nas duas aulas de culinária que já fizemos (temos mais 3 ainda pela frente) e postar aqui.

Fizemos um creme de batatas com alho-porró… tudo feito do zero, inclusive o vegetable stock (caldo de legumes?) que serviu como base para a sopa, conforme aprendemos nas aulas. O resultado está na foto aqui ao lado do post, cliquem para ampliar.

Ficou super gostoso, nós comemos com tandori masala naan, um tipo de pão indiano.

Atualização: gente, calma, eu coloco a receita depois… tenho que traduzir, converter medidas e digitar tudo.

Aula de culinária

Eu e a Lydia fomos à primeira de uma série de aulas de culinária que um chef local vai dar nestas próximas semanas. Vamos fazer as aulas que são úteis para nós, como vegetarianos.

Esta primeira aula foi sobre utilização de facas e técnicas de corte… e adivinhem quem foi o único mané que conseguiu cortar o dedo? 😐

Go to Top