Bichos & Natureza

Meu reino por uma pia!

A nossa pia da cozinha, instalada só há 10 anos atrás, estava em estado meio precário apesar do nosso cuidado: toda manchada, riscada e com o revestimento gasto (conselho de amigo: acrylic sinks are teh suck. Não comprem).

A solução era então instalar uma nova. Começamos o projeto na quarta-feira com uma pia nova de inox e só conseguimos terminar hoje com uma pia de composite granite, tudo graças à Lei de Murphy. Para a história não ficar chata, vou contar através de fotos.

A pia velha, toda manchada e riscada.

Dia 1: A pia velha, toda manchada e riscada.

Dia 1: primeira tentativa de instalação... FAIL!

Dia 1: primeira tentativa de instalação... FAIL!

Dia 2: Segunda tentativa de instalação... EPIC FAIL!

Dia 2: Segunda tentativa de instalação... EPIC FAIL!

Dia 3: Arranjamos uma ajudante...

Dia 3: Recebendo orientação especializada...

...e sucesso!

...e sucesso! Third time is the charm.

Lava, lava, lava...

Lava, lava, lava...

Qualidade profissional, nem está vazando!

Qualidade profissional... não está nem vazando!

Eu AINDA [coração] balão

bunny_balao

Aguentando firme!

Lembram do balão que comprei para a Lydia já faz quase um mês e meio atrás?

Ainda está aqui flutuando, firmão. E as duas gatinhas continuam brincando com ele e levando o balão pela casa toda. Já tive que trocar a metade de baixo do fio duas vezes, porque o fio estava detonado de tanto elas morderem e unharem.

Esse balão realmente é impressionante. Nunca vi nenhum durar tanto tempo. Não está mais tão estufado quanto antes, mas caramba, um mês e meio depois ainda está flutuando sem problemas. Se bobear ainda chega em 2010.

Está aqui uma fotinho da Bunny passeando com o balão. Foi tirada com o celular, então não esperem muita qualidade. Enjoy! :-)

Ensaio fotográfico de Halloween

Aqui está a Bunny na sua fantasia de Halloween. A Lydia tirou as fotos enquanto eu era o “animal handler”.

A Switch tem uma fantasia de diabo, mas quando tentamos colocar nela e tirar fotos, ela literalmente virou o demônio. Não saiu nada legal com ela se esperneando e mordendo.

Eu [coração] balão

Há 2 semanas atrás eu dei um balão em formato de coração para a Lydia, só por dar. Balão é um negócio que é legal ganhar, mas depois você não tem o que fazer com ele.

Neste caso, porém, o balão não caiu na inutilidade. A Bunny adorou o balão. O fio é comprido e chega até o chão mesmo quando ele está encostado no teto, então ela brinca com o balão toda hora. Puxa ele para baixo, bate no fiozinho e, o mais legal, segura o fio na boca e puxa o balão pela casa.

Estou tentando tirar fotos dela puxando esse balão mas até agora não consegui. Fotos dela batendo no fio tem montes, mas puxando… ela para quando a gente começa a prestar muita atenção nela.

Mas na falta de foto dela puxando o balão, pelo menos tem uma dela dormindo numa cadeira com o balão. Ela brincou, brincou e brincou com o balão, daí o levou para cima da cadeira e dormiu.

A foto é muito alta e estreita, então não tem preview. Clique aqui para ver.

Minha vida é (quase) só trabalho

Tenho estado super-ocupado nestas últimas semanas, sem tempo para muita coisa, inclusive para pensar em postar no blog.

Entre ferrar cavalos durante o dia, projetos de websites à noite e ajudar na formação de uma cooperativa local para compra de comida (mais detalhes sobre isto em breve), meu tempo livre desapareceu. Só sobrou tempo para ir ao encontro de jogos de tabuleiro no sábado e tocar um pouco de música ontem.

Hoje fiquei em casa o dia todo, trabalhando num projeto que tem que ser entregue na quarta-feira. A Switch está aqui, me “ajudando” à moda dos gatos.

Conseguem ler a lista dos arquivos que tenho que alterar? Eu também não, com a gata sentada em cima...

Conseguem ler a lista dos arquivos que tenho que alterar? Eu também não, com a gatinha sentada em cima da folha...

Tem medo mas não tem vergonha

De um tempo para cá a Bunny ficou com mania de querer sair. A gente não deixa as gatas sairem de casa a não ser que estejamos ali junto com elas e mesmo assim nunca as deixamos sair de perto da casa.

Mas agora toda vez que alguém dá sinais de que vai sair, ou chega perto da porta da casa, a Bunny corre e fica pedindo desesperadamente para a gente abrir a porta e deixar ela sair, ou tentando correr para fora quando você abre a porta. Se você deixa ela sair, ela corre e vai mastigar umas graminhas que nascem no canteiro de flores, chamadas aqui de “zebra grass”, logo aqui junto da varanda. Ela deve estar viciada naquilo.

Quase umas 3 semanas atrás, ela fugiu sorrateiramente quando eu abri a porta para sair, mas eu não percebi. Peguei o carro da Lydia e fui embora. A Bunny ficou trancada lá fora por horas, até a Lydia sair e ver que a gatinha estava escondida embaixo da minha picape, toda suja e assustada, não queria nem vir quando a Lydia chamou.

Agora a Bunny está com medo de ficar trancada para fora, mas pergunte se ela deixa de pedir para sair ou tentar fugir quando abrimos a porta. Se deixamos, ela sai, se assusta e fica parada do lado de fora da porta, pedindo para a gente deixar ela entrar de novo… vai entender. É uma goiaba mesmo.

Boardgame Kitteh

boardgame_kitteh_sm

Foto tirada pela minha irmã durante uma partida de Carcassonne.

Por que a tartaruga atravessa a rua?

Olha que fofura!

Olha que fofura!

Não sei a resposta, mas hoje eu e meus amigos ferradores paramos o caminhão para tirar uma micro-tartaruga da estrada, antes que ela fosse atropelada. Uma menina que passava patinando por ali até parou para testemunhar o resgate. :-)

Por aqui tem tartarugas selvagens, andando para todo lado. Quem já lê o blog faz tempo talvez se lembre desta aqui,  ou então destas. Já tive que tirar tartarugas do meio da estrada outras vezes, inclusive uma deste tamanho.

O que é, o que é

Baby MarmotinhaPequeno? Check.
Marrom? Check.
Gorducho? Check.
Cava buraco? Check.
Entra na horta? Check.

OH NOES! :-(

Temos marmotinhas nenês de novo no quintal. Só espero que não se repita o mesmo fiasco dos anos passados…

Adeus, Van Gogh

Felicidade é rolar na grama...

Felicidade é rolar na grama...

O Van Gogh morreu hoje, no sofá, com a gente fazendo carinho nele e a cabeça dele repousando na minha mão. Tinha 18 anos bem vividos. Acaba-se assim a longa história dele como nosso companheiro e ficam-se só as memórias.

Adotamos o Van Gogh há quase 13 anos atrás (completariam-se no mês que vem), no dia seguinte à nossa chegada de mudança aqui para os EUA. Fomos a um churrasco de boas vindas na casa de amigos da família da Lydia e ele estava lá, escondido embaixo do barracão no quintal. Tinha aparecido lá umas 2 ou 3 semanas antes, todo machucado e faminto e o dono da casa cuidou dele. Como eles iam levá-lo para um shelter, nos oferecemos para ficar com o gato.

E assim, com poucas horas de EUA, não tínhamos casa, carro ou empregos, mas já tínhamos um gato.

Ele ficou na casa desse amigo ainda por alguns meses até que alugamos o nosso apartamento. O Van Gogh foi praticamente o primeiro “acessório” do apartamento, pois quando nos mudamos não tínhamos nenhuma mobília, nem ao menos uma cama.

Desde então esteve sempre com a gente, fazendo companhia para as nossas visitas quando não estávamos em casa, supervisionando o serviço de pessoas que vinham consertar coisas em casa e vindo nos recepcionar à porta quando chegávamos do trabalho. Passou por uma época difícil ainda no apartmento com alguns problemas de comportamento, mas depois deu a volta por cima e virou o melhor bicho de estimação do mundo.

Ele tinha um significado muito especial para a gente, tendo acompanhado a nossa caminhada desde que pusemos os pés aqui nos EUA, tanto nas horas ruins quanto nas boas. Agora se foi, e vai deixar um tremendo buraco nas nossas vidas.

Enterramos ele no quintal, debaixo de chuva, com o brinquedinho preferido dele entre as patas. Está em paz agora, sem dor. A dor é só nossa.

Go to Top